Aos amados

E com o tímido dá-se
que seus amados nunca sabem o quanto,
porque não há boca que o diga com fervor.
Pois é próprio do tímido
um não se ter como assunto.
E ficam os amados
a desconfiar de seus sentimentos
e de seu pouco declarado afeto.
Mas como ama o tímido os seus amados!
E se debruça em preocupações.
E dói-lhe as suas derrotas.
E chora as saudades.
E em perda alguma nem é capaz de pensar.

2 comentários:

Suliane disse...

Adorei. Gostei de "Baile" também, mas mais desse.

Helen Valverde disse...

Vc é uma das minhas mais "amadas"! Mas acho que vc sabe... :)