Não sei se subo no chão ou fico nos ares

Sabe o que é?
Estou confusa.
E se acontece o que temo,
como fica?
E se não for o que espero,
como fico?
E se eu mudar de ideia,
como me explico?
E se eu apostar
e não for isso?
E se eu pensar demais
e acabar o tempo?
E se eu não pensar
e puser tudo a perder?
E se eu arriscar
e acabar magoada?
E se eu não tentar
e depois me arrepender?
E se eu decidir pelo sim
e me estrepar?
E se ainda não for a hora,
como vou saber?
E se eu enlouquecer
de tanto conjeturar?

6 comentários:

Suliane Valverde disse...

Muito muito muito bom! Acho que todos os neuróticos do mundo te devem por essa poesia, que é a mais pura demonstração do que é a neurose. Alías, "me lembrou Clarice", mas a outra Clarice, a Lispector, com o seu "ou isso ou aquilo"... não sei se vou ou se fico. Muito muito bom!
Só notei, em meio a toda neurose, um pouco de Narcisismo. Por que o "EU" todo em maiusculo?

Suliane Valverde disse...

Reli. Muito muito bom mesmo! Imaginei essa sua poesia inserida em uma peça. Seria perfeito. Lembra-me até Colombina, divida entre Arlequim e Pierrot, mesmo que seu foco seja outro.

Helen Valverde disse...

Essa "Ou isto ou aquilo" está no perfil do meu orkut! Engraçado que na primeira vez que estudei algo sobre neurose, a primeira coisa em que pensei foi esse poema! Tem muito a ver comigo, rs! Mas, a propósito, não é da Clarice, e sim da Cecília Meireles...

Quanto ao eu em caixa alta, era pra ressaltar minha preocupação com meus próprios sentimentos, oras! Não achei que fosse uma atitude narcisista! Vc e suas interpretações psicanalíticas! rsss

E, sim, o meu foco é outro. O meu foco para tais conjeturações pode ser QUALQUER COISA! hahaha
Até mesmo algo como:
"Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro."!

Helen Valverde disse...

Escolher/decidir é um custo! Acho que preferiria ser perversa! hahaha

Guilherme disse...

E se?
O se não importa,
só importa o que se vive!

Lindo poema, como sempre inspirador!
Beijos

Renato disse...

AMEI.